O Arcanjo Miguel é Jesus Cristo?

 

 

 

(1) A Bíblia cita o arcanjo Miguel nominalmente em poucos textos, sendo, Daniel 10:13,21 - Daniel 12:01 - Judas 01:09 e Apocalipse 12:07.

Avaliando o que é dito sobre Miguel, mesmo nestes poucos textos que o citam, e comparando com alguns textos sobre Jesus Cristo, poderemos chegar a nossa conclusão.

 

(2) Chama-me muito a atenção o texto de Daniel 10:13, que diz: “Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu por vinte e um dias; porém Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu obtive vitória sobre os reis da Pérsia.”. Observe que Miguel é citado como “um dos primeiros príncipes”.

Isso nos leva a compreender que ele foi criado e que havia outros iguais a ele. Comparando, Jesus não foi criado, João 01:01,03, e não há outro igual a Jesus, Ele é único, Ele é Deus, 1 Timóteo 06:14,15, é o Alfa e o Ômega, Apocalipse 22:13.

Logo, esse primeiro texto nos indica que o arcanjo Miguel não pode ser Jesus.

 

(3) Miguel é citado na Bíblia como sendo um arcanjo, que é uma espécie de Anjo-chefe, Judas 01:09 e também citado como sendo príncipe, Daniel 10:13. Essas duas atribuições não se enquadram no que Jesus Cristo é, pois Ele é chamado na Bíblia de Rei dos reis e Senhor dos senhores, Apocalipse 17:14. Estes textos também demostram que Jesus não poderia ser Miguel.

 

(4) O texto de Judas 01:09 nos mostra também algo interessante: “Contudo, o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo e disputava a respeito do corpo de Moisés, não se atreveu a proferir juízo infamatório contra ele; pelo contrário, disse: O Senhor te repreenda!”.

 Observe que nessa disputa entre Miguel e o Diabo, Miguel disse a Ele que o Senhor o repreenderia.

Sabemos que Jesus Cristo é o Senhor.

Se Miguel fosse Jesus, por que razão iria dizer ao diabo que o Senhor o repreenderia,  se Jesus é o Senhor?

Ele mesmo teria autoridade para repreender o diabo, assim como fez na tentação no deserto, Mateus 04:10.

Fica claro que Miguel falava de alguém que está acima dele e que tem o poder de julgar.

Logo, Miguel não é Jesus também nesse texto.

Assim, fica evidente, que pelas citações bíblicas que temos de Miguel, não podemos afirmar que ele seja Jesus Cristo.

São duas pessoas totalmente distintas segundo as análises dos relatos bíblicos. Quem acha que o arcanjo Miguel é Jesus Cristo precisa apresentar boas provas bíblicas que, segundo vimos, não existem.

 

 

Quem é o arcanjo Miguel?

 

 

A CRIATURA espiritual chamada Miguel é mencionada poucas vezes na Bíblia. Mas, quando é mencionada, está sempre em ação.

No livro de Daniel, Miguel guerreia contra anjos maus; na carta de Judas, ele tem uma disputa com Satanás; e em Apocalipse, guerreia contra o Diabo e seus demônios.

Por defender o governo de Jeová e lutar contra os inimigos de Deus, Miguel faz jus ao significado de seu nome: “Quem É Semelhante a Deus?”

Mas quem é Miguel?    Há casos em que as pessoas são conhecidas por mais de um nome.

Por exemplo, o patriarca Jacó é conhecido também como Israel, e o apóstolo Pedro, como Simão, Gênesis 49:01,02 -Mateus 10:02.  

Da mesma forma, a Bíblia indica que Miguel é outro nome de Jesus Cristo, antes e depois de sua vida na Terra.

Vejamos algumas razões bíblicas para chegarmos a essa conclusão.

Arcanjo. A Palavra de Deus fala de Miguel, “o arcanjo”, Judas 09.  

Esse termo significa “anjo principal”.  

Note que Miguel é chamado de arcanjo.

Isso sugere que existe apenas um anjo assim.

De fato, a palavra “arcanjo” ocorre na Bíblia apenas no singular, nunca no plural. Além do mais, o cargo de arcanjo se relaciona com Jesus.

Sobre o ressuscitado Senhor Jesus Cristo, 1 Tessalonicenses 04:16 diz: “O próprio Senhor descerá do céu com uma chamada de comando, com voz de arcanjo.” A voz de Jesus é descrita aqui como de arcanjo.

Portanto, esse texto indica que o próprio Jesus é o arcanjo Miguel.

Líder militar. A Bíblia diz que “Miguel e os seus anjos batalharam contra o dragão . . . e os seus anjos”, Apocalipse 12:07.  

De modo que Miguel é o Líder de um exército de anjos fiéis.

Apocalipse também se refere a Jesus como Líder de um exército de anjos fiéis, Apocalipse 19:14,16.

E o apóstolo Paulo menciona especificamente o “Senhor Jesus” e “seus anjos poderosos”, 2 Tessalonicenses 01:07.  

Portanto, a Bíblia fala tanto de Miguel e “seus anjos” como de Jesus e “seus anjos”, Mateus 13:41 - 16:27 - 24:31 - 1 Pedro 03:22.

Visto que a Palavra de Deus em nenhuma parte indica que existem dois exércitos de anjos fiéis no céu — um comandado por Miguel e outro por Jesus —, é lógico concluir que Miguel não é outro senão o próprio Jesus Cristo no seu papel celestial.

 

 

Quem é Miguel, mencionado na Bíblia? É Jesus?

 

 

O ARCANJO MIGUEL.

 

Dentro do contexto da Bíblia Sagrada, que, sem sombra de dúvida, é a fonte de informações mais segura e confiável sobre angelologia, encontramos uma série de declarações que, comparadas e confrontadas, nos levam a pensar que o Arcanjo Miguel é o próprio Cristo.   Apocalipse 12:07 declara que “houve guerra no Céu” e que “Miguel e Seus anjos lutaram contra o dragão”.

Daniel 08:25 diz que “por sua astúcia nos seus empreendimentos fará prosperar o engano…; levantar-se-á contra o Príncipe dos príncipes…”. Na versão parafraseada da Bíblia na Linguagem de Hoje, diz que “ele desafiará a Deus, o Rei dos reis…” E segundo Apocalipse 19:16, Jesus Cristo é o Rei dos reis.  Daniel 12:01 enfatiza que “nesse tempo se levantará Miguel, o grande Príncipe…”

Daniel 09:25 refere-se ao Ungido como sendo o Príncipe, nestas palavras:  “… desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém, até ao Ungido, ao Príncipe…”. E no versículo 26, fala que o Ungido, ou o Príncipe do versículo 25, será morto.

“Depois das sessenta e duas semanas, será morto o Ungido e já não estará…”, Daniel 09:26.   Quem é este Ungido? A resposta está em Lucas 04:17 e 18, onde Jesus, referindo-Se à profecia de Isaías 61:01 e 02, fala de Si mesmo nestas palavras: “O Espírito Santo está em Mim, pelo que Me ungiu…”   O Espírito do Senhor Jeová está sobre Mim, porque o Senhor Me ungiu para pregar boas-novas aos mansos; enviou-Me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos e a abertura de prisão aos presos; a apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os tristes, Isaías 61:01 e 02.

E foi-Lhe dado o livro do profeta Isaías; e, quando abriu o livro, achou o lugar em que estava escrito:  O Espírito do Senhor é sobre Mim, pois que Me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-Me a curar os quebrantados do coração, Lucas 04:17 e 18 - Atos 10:38 e 39 declara, de maneira mais direta, quem é este Ungido, com as seguintes palavras: Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o qual andou fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com Ele. E nós somos testemunhas de todas as coisas que fez, tanto na terra da Judéia como em Jerusalém; ao qual mataram, pendurando-O num madeiro.   Atos 04:26 diz que “levantaram-se os reis da Terra e as autoridades ajuntaram-se à uma contra o Senhor e contra o Seu Ungido…” – Aqui não se trata de qualquer ungido, mas do Ungido, o Messias.

Atos 05:30 e 31 acrescenta que “o Deus de nossos pais ressuscitou a Jesus, a quem vós matastes… Deus, porém, com a Sua destra o exaltou a Príncipe e Salvador…”   Quem poderia ser, pois, Miguel de Apocalipse 12:07,  Miguel, vosso Príncipe, de Daniel 12:11, Miguel, o grande Príncipe, de Daniel 09:25?   Porventura a resposta não estaria em Apocalipse 01:05, onde está escrito:

“E de Jesus Cristo, que é a Testemunha fiel, o primogênito dentre os mortos, e o Príncipe dos reis da Terra…?”

Quem é o Arcanjo Miguel mencionado em Judas 9?   Muita especulação surgiu através dos tempos, nas tradições judaicas e cristã, sobre a natureza e obra dos anjos, bem como sobre a identificação do Arcanjo Miguel. Essas tradições extrabíblicas  têm sido usadas por muitos comentaristas contemporâneos para alegar que Miguel é apenas um anjo, criado por Deus, que exerce a função de principal líder das hostes angélicas.  Nas Escrituras, Miguel, cujo nome significa “Quem é como Deus?”, é descrito como: “Arcanjo”, Judas 9.  O líder das hostes angélicas no conflito com Satanás e os seus anjos maus, Apocalipse 12:07, “um dos primeiros príncipes”, Daniel 10:13.  “vosso Príncipe”, Daniel 10:21. “o grande Príncipe”, o defensor dos filhos do teu povo”, Daniel 12:01.   Uma análise detida dessas expressões, dentro do contexto bíblico, deixa claro que Miguel é apresentado no texto sagrado como um Ser divino, cujas características refletem a glória messiânica do Antigo Testamento.   Miguel é apresentado em Judas 9 como o “Arcanjo” que, na disputa “a respeito do corpo de Moisés”, Deuteronômio 34:05 e 06, enfrentou o diabo com as palavras: “O Senhor te repreenda!” Essa alusão identifica Miguel como o “Arcanjo do Senhor” que, na contenda sobre o “sumo sacerdote Josué”, disse igualmente ao diabo:  E me mostrou o sumo sacerdote Josué, o qual estava diante do Anjo do Senhor, e Satanás estava à sua mão direita, para se lhe opor.   Mas o Senhor disse a Satanás: O Senhor te repreende, ó Satanás, sim, o Senhor, que escolheu Jerusalém, te repreende; não é este um tição tirado do fogo?   Ora, Josué, vestido de vestes sujas, estava diante do Anjo, Zacarias 03:01 a 03.  É interessante notarmos que, tanto em Zacarias 3 como em Gênesis 22:11 a 18 - Juízes 06:11 a 24 - Juízes 13 e Atos 07:30 a 40, o Anjo do Senhor é identificado como sendo o próprio Senhor!   Em Apocalipse 12:07, Miguel e Satanás são apresentados em direto antagonismo, num conflito cósmico que se originou no Céu, e que se estende ao longo da história humana, Apocalipse 12 - Apocalipse 20.   O Novo Testamento esclarece que esse conflito polarizou-se entre Cristo e Seus seguidores e Satanás e seus adeptos. Ver: Mateus 04:01, 11 - João 12:31 e 32 - Colossenses 01:09,16 - Efésios 06:10, 20 - João 14:30.    Já em Daniel 10:13, 21 - Daniel 12:01, Miguel é chamado de “Príncipe” e “o grande Príncipe”. Em todo o restante das Escrituras, quando não aplicado a seres humanos, o título “príncipe” é usado exclusivamente para Cristo ou para Satanás, mas nunca para qualquer outro ser angelical, Josué 05:14,15 - Isaías 09:06 - Daniel 08:11,25 - Daniel 09:25 - Atos 05:31 - João 12:31 - João 14:30 - 16:11 - Efésios 02:12.   Em Josué 05:14,15, o Senhor Se apresentou a Josué como “Príncipe do exército do Senhor”, aceitando adoração, o que seria uma blasfêmia se esse Príncipe fosse apenas um anjo, Mateus 04:10 - Apocalipse 22:08,09, e ordenando que Josué tirasse as suas sandálias porque o lugar se tornara santo (comparar com Êxodo 03:04,06 - Atos 07:30,33. No próprio livro de Daniel, Cristo é chamado também de “Príncipe do exército”, Daniel 08:11 e “Príncipe dos príncipes”, Daniel 08:25.   Uma das características básicas do conteúdo profético do livro de Daniel é a “repetição para ampliação”. Cada uma das quatro grandes seções proféticas do livro emprega símbolos diferentes para descrever a mesma seqüência  profética, culminando sempre com a manifestação gloriosa de Cristo para a implantação do Seu reino eterno. Essa manifestação de Cristo é simbolizada em Daniel 2, pela pedra cortada sem auxílio de mãos (versos 34 e 35 - 44 e 45, comparar com Atos 04:11 - Efésios 02:20 - I Pedro 02:04,08 em Daniel 07:13, pelo aparecimento do Filho do homem, comparar com Apocalipse 19:11,21.   E, finalmente, em Daniel 12:01, pela vinda de “Miguel, o grande Príncipe, defensor dos filhos do teu povo” (comparar com Salmo 91). Alegar que Miguel seja um simples anjo significa quebrar o paralelismo estrutural do livro. Fundamentados nas semelhanças que a Bíblia apresenta entre as características da missão do Arcanjo Miguel com as de Cristo, podemos concordar como outros comentaristas, como João Calvino e Matthew Henry, que identificam Miguel como Cristo e não um simples anjo (ou um ser criado).

 

 

Arcanjo Miguel X Jesus Cristo - Daniel 10-13-21, 12:1

 

 

"...E eis que veio ajudar-me Miguel, um dos mais destacados príncipes . ...Miguel, vosso príncipe... E durante esse tempo pôr-se-á de pé Miguel, o grande príncipe que está de pé a favor de teu povo.", Daniel 10:13,21 - 12:01, Tradução do Novo Mundo.
A Sociedade Torre de Vigia ensina às testemunhas de Jeová que Jesus era meramente um anjo, que nasceu como um ser humano, morreu como um sacrifício pelo pecado, e ressurgiu como um anjo uma vez mais. Elas se referem a ele como:

"Jesus Cristo, que nós entendemos das Escrituras Sagradas ser o arcanjo Miguel" (A Sentinela, 15/02/79, p.31, edição norte-americana). 

Mas é realmente isto o que a Bíblia ensina? Ou, antes, é isto um ensinamento que os líderes da Torre de Vigia sobrepõem às Escrituras?
A Palavra inspirada de Deus menciona Miguel cinco vezes como: 

(1) "um dos mais destacados príncipes", Daniel 10:13, Tradução do Novo Mundo); 

(2) "vosso príncipe"[do povo de Daniel];  

(3) "o grande príncipe que está de pé a favor dos filhos de teu povo"[povo de Daniel], Daniel 12:o1, Tradução do Novo Mundo); 

(4) "o arcanjo" que "teve uma controvérsia com o Diabo e disputava o corpo de Moisés, não se atreveu a lançar um julgamento contra ele em termos ultrajantes" , Judas 9, Tradução do Novo Mundo); e  

(5) um participante do conflito celestial quando "Miguel e seus anjos batalhavam contra o dragão", Apocalipse 12:07, Tradução do Novo Mundo). 

Qual destes versículos afirma que Miguel é Jesus Cristo? Nenhum deles! É necessário ler as Escrituras e mais um complicado argumento das testemunhas de Jeová para se chegar a esta conclusão.
A Sociedade Torre de Vigia também procura sustentação em outro versículo que não usa o nome de Miguel, mas diz: 

"Porque o próprio Senhor descerá do céu com uma chamada dominante, com voz de arcanjo e com a trombeta de Deus", 1 Tessalonicenses 04:16, Tradução do Novo Mundo). 

Mas, se usar a voz do arcanjo faz de Deus um arcanjo, então ter a trombeta de Deus faz do arcanjo Deus - embora os líderes da Torre de Vigia mencionem apenas a primeira parte do versículo.
A Bíblia ensina em algum lugar que Jesus Cristo é um mero anjo? Ao contrário, o primeiro capítulo de Hebreus foi escrito, em sua totalidade, para demonstrar a superioridade do Filho de Deus comparado aos anjos. Versículo após versículo contrasta os anjos com:"...Pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, e por quem fez também o mundo; sendo ele o resplendor da sua glória e a expressa imagem do seu Ser, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo ele mesmo feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade nas alturas, feito tanto mais excelente do que os anjos, quanto herdou mais excelente nome do que eles. Pois a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, hoje te gerei? E outra vez: Eu lhe serei Pai, e ele me será Filho? E outra vez, ao introduzir no mundo o primogénito, diz E todos os anjos de Deus o adorem. Ora, quanto aos anjos, diz: Quem de seus anjos faz ventos, e de seus ministros labaredas de fogo. Mas do Filho diz: O teu trono, ó Deus, subsiste pelos séculos dos séculos, e cetro de eqüidade é o cetro do teu reino. E: tu, Senhor, no princípio fundaste a terra...", Hebreus 01:02,08,10.
O Filho é o "reflexo" da glória do pai e a "exata" representação de seu próprio ser, e sustentando todas as coisas pela palavra de seu poder - algo que nenhum anjo poderia fazer no mesmo segundo - a tradução da Torre de Vigia de Hebreus 01:03 (Tradução do Novo Mundo).
Além disso, os anjos bons se recusam veementemente a aceitar adoração. Quando o apóstolo João se prostrou aos pés do anjo para o adorar, o anjo o repreendeu dizendo: 

"Toma cuidado! Não faças isso! Adora a Deus", Apocalipse 22:08,09, Tradução do Novo Mundo). 

Mas o mandamento do Pai aos anjos a respeito do Filho é: 

"E todos os anjos de Deus o adorem", Hebreus 01:06, Tradução do Novo Mundo, 1961).
Em edições mais recentes, a Sociedade Torre de Vigia mudou a palavra "adorem" para "reverenciem" em Hebreus 01:06. Ainda assim, a despeito de como a palavra é traduzida, a mesma palavra grega proskuneo é usada tanto em Apocalipse 22:08,09 e Hebreus 01:06.  A proskuneo (adoração ou obediência) que os anjos se recusam a aceitar, mas dizem que é devida apenas a Deus, é a mesma proskuneo (adoração ou obediência) que o Pai ordena aos anjos que seja prestada ao Filho em Hebreus 01:06. Assim, o Filho não pode ser um anjo, ele é Deus. (Veja as considerações sobre 
Hebreus 01:06).
As pessoas que deixam de seguir a Sociedade Torre de Vigia, e começam a seguir a Jesus Cristo, logo percebem que ele não é meramente um anjo. Esta compreensão é importante para que elas "honrem o Filho, assim como honram o Pai", João 05:23, Tradução ,do Novo Mundo).   (Veja também os comentários sobre
Isaías 09:06; João 01:01 - 20:28 - Colossenses 01:15 - Apocalipse 01:07,08 - 03:14.

 

 

Estudo realizado por Pastor Rogério Costa

Caxias do Sul – 11/03/16

 

Ministério Igualdade Independente

www.ministerioigualdadeindependente.webnode.com.br

Projeto Plantar

www.projetoplantar.webnode.com

 

Envie um comentário sobre o que voce achou deste link!

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário

    Pr. Rogério Costa

                www.projetoplantar.webnode.com

 

Contato

Pr. Rogério Costa
(54) - 99102.6151

(54) - 99101.5124


analberto@bol.com.br